Artigos

Entre em contato: (48) 3524-6596

O que são resíduos de serviços de saúde (RSS)?

São todos os serviços relacionados com o atendimento à saúde humana ou animal, inclusive os serviços de assistência domiciliar e de trabalhos de campo, laboratórios analíticos de produtos para saúde, necrotérios, funerárias e serviços onde se realizem atividades de embalsamamento, serviços de medicina legal, drogarias e farmácias e ou farmácias de manipulação, estabelecimentos de ensino e pesquisa na área de saúde, centros de controle de zoonoses, distribuidores de produtos farmacêuticos, importadores, distribuidores e produtores de materiais e controles para diagnóstico in vitro, unidades móveis de atendimento à saúde, serviços de acupuntura, serviços de tatuagem, dentre outros similares.
Resoluções CONAMA e ANVISA

  • Resolução CONAMA Nº 283/2001 – Dispõe sobre o tratamento e a destinação final dos resíduos dos serviços de saúde.
  • Resolução ANVISA RDC Nº 306/2004 – Dispõe sobre o regulamento técnico para o gerenciamento de resíduos de serviços de saúde.

Classificação dos RSS

GRUPO A – Infectantes: Resíduos com possível presença de agentes biológicos;
GRUPO B – Químicos: Resíduos contendo substâncias químicas;
GRUPO C – Radioativos: Resíduos contendo radionuclídeos;
GRUPO D – Comuns: Resíduos que podem ser equiparados aos resíduos domiciliares;
GRUPO E – Perfurocortantes ou Escarificantes.

A Coleta e o Transporte dos Resíduos de Serviços de Saúde

A COLIX faz esse processo, porém algumas normas têm que ser utilizada.
Os veículos utilizados para o transporte dos RSS do Grupo A – Resíduos com Risco Biológico devem ter as seguintes características especiais:

  • A carroceria do veículo adequada para fixar os recipientes para transporte;
  • A carroceria do veículo deve estar completamente separada da cabine;
  • A parte interior da carroceria deve ser facilmente lavável;
  • As portas de cargas devem estar na parte traseira do veículo;
  • O veículo deve estar devidamente identificado com rótulo que indique a presença de material biológico (símbolo universal de “Substância Infectante” – Norma da ABNT, NBR 7.500).

Não devem ser utilizados veículos compactadores de lixo urbano para o transporte de RSS dos Grupos A, B, C e E.
Armazenamento Externo

Os RSS devem ser armazenados em locais específicos para esse fim no próprio estabelecimento de saúde. O armazenamento externo dos diversos grupos dos RSS pode estar em pontos separados ou na mesma área, desde que a divisão entre eles esteja perfeitamente delimitada, para evitar mistura ou focos de contaminação.
Os resíduos não podem ficar muito tempo armazenado, mesmo separado, aumenta o risco de contaminação ambiental e a propagação de infecções.
Tratamento e Disposição Final dos RSS

O lixo coletado deve ser tratado, para isso existem métodos de tratamento de resíduos infectantes, tais como: Desinfecção úmida e seca, Radiação Ionizante, Microondas, Radiofreqüência (ETD), Químico e Incineração.
Utilizamos o tipo de desinfecção a vapor, o método da AUTOCLAVE: Processo no qual se aplica vapor saturado sob pressão superior à atmosférica com a finalidade de se obter a esterilização. As condições mais conhecidas são 15 – 30 minutos a 121 ºC – 132 ºC. Depois de feita a desinfecção os resíduos são dispostos em Aterro Sanitário, que é definido como um processo para a disposição final de resíduos sólidos no solo, fundamentado em critérios de engenharia para confinar o lixo à menor área possível, cobrindo-o com uma camada de terra ao final de cada jornada de trabalho.